2019_data_limite_tragedias

2019 é data limite: teoria espírita explica as tragédias que estamos vivendo?

Por Eunice Ferrari, astróloga do Horóscopo Dia

O ano de 2019 não está fácil. Ano de Marte, ano de Ogum, ano da Data Limite, segundo Chico Xavier. Marte, o deus da guerra, é regente deste ano. O Brasil está sendo massacrado por tragédias, uma atrás da outra: a lama de Brumadinho, as enchentes no Rio de Janeiro, o incêndio no Flamengo, a morte de Ricardo Boechat, o prédio que caiu em comunidade carioca, um negro inocente fuzilado por 80 tiros dos militares.

Ciclos de Plutão e Saturno, tragédias e catástrofes: entenda relação >>
Horóscopo do fim de semana de 13 e 14 de abril: previsões de sábado e domingo >>
Horóscopo 2019: veja todas as previsões completas para o seu signo no novo ano >>
Horóscopo da saúde em 2019: previsões para o bem-estar do seu signo >>
Horóscopo do dinheiro em 2019: previsões de finanças para o seu signo >>
Esses 3 signos terão mais chances no amor em 2019; veja quais >>



A insegurança aumenta, todos queremos os motivos, as causas espirituais e invisíveis, pelo menos para podermos dar algum sentido a tanta dor e construirmos um fio que seja, de segurança, para continuarmos a caminhar com esperança, algo que nos explique o porquê de tantas perdas, tantas tragédias em tão pouco tempo.

Vamos lembrar que, logo no primeiro dia do ano, Marte, o deus da guerra, entrou em Áries, signo que rege, deixando no ar a possibilidade de guerras e destruição. Em seguida, no dia 5, fomos acometidos por um eclipse, que hoje posso dizer, energeticamente terrível, com os mais temidos Titãs envolvidos, Saturno e Plutão, unidos à Lua e ao Sol, no signo de Capricórnio, signo que rege as estruturas, físicas e sociais, as empresas, o Estado, a família e as grandes instituições.



Depois, outro eclipse, agora nos primeiros graus de Leão, recebendo um tenso aspecto de Urano, outro planeta que sempre chega para destruir e de maneira imediata o que deve ser destruído. Urano tem a força e a rapidez da eletricidade e sua destrutividade pode ser comparada à da bomba atômica. Urano em Áries recebeu Marte este mês e, podemos dizer, que a união desses dois Titãs, foi responsável pela destrutividade imediata dos acontecimentos em nosso país nas últimas semanas. Mas tragédias já anunciadas, pelo descaso e negligência humanos, que, infelizmente, têm sido uma constante característica de nossa terra.

Sob esse astral estamos todos nós, que habitamos o planeta Terra, e as quedas de aviões, helicópteros, incêndios e tudo o que foi destruído dessa forma, em uma fração de segundos.

Mapa astral do Brasil



Como disse, todos nós, humanos, vivemos esse astral, no entanto, se olharmos o mapa do Brasil, vamos entender as grandes tragédias que vêm ocorrendo em nosso país, desde alguns anos atrás. O mapa progredido do Brasil - e venho alertando a todos desde 2016 - passa por um momento de tensão bombástica e definitiva, com Sol, Plutão e Marte unidos nos primeiros graus de Áries, trazendo à tona todo o lixo escondido sob os tapetes nacionais brasileiros.

Tenho dito que nada e ninguém sairá ileso dessa profunda limpeza que nós, brasileiros, estamos vivendo e teremos ainda mais alguns anos para o início da virada.

Esse aspecto, que tem sido vivido por todos nós, brasileiros, desde 2016 e que continuará por mais alguns anos, numa progressão lenta de acontecimentos que vão seguir mexendo com as estruturas, não só políticas, deste país.



Quando um planeta em trânsito toca um ponto, um aspecto importante em um mapa astral, seja pessoal, de uma empresa, de um país, seja qual mapa for, acontecimentos são desencadeados e, com Marte transitando em Áries, acionando esse aspecto do mapa do Brasil, não poderíamos esperar que o Universo e a natureza não se pronunciasse.

2019 é ano da data limite, segundo Chico Xavier

2019 não é um ano qualquer. É um ano que marca a Data Limite, conforme acreditam os espiritualistas, entre eles Chico Xavier: é a chance que alguns seres de Luz nos deram para deixarmos de lado nosso egoísmo, nossa individualidade, nossa mesquinhez. Desde 1969, temos sido testados e convocados, pessoal e coletivamente, para abrirmos nossos corações e nossos braços, para aprendermos a caminhar de uma maneira mais fraternal, com o olhar na coletividade, no solo deste nosso lindo planeta.

Se a grande guerra for evitada até a metade deste ano, seremos todos libertados e caminharemos mais felizes por nosso Terra.

Neste ano, tudo tem vindo à tona, e o Brasil não passa por tantas catástrofes por nada. Toda limpeza é necessária, mas esta que nós brasileiros temos vivido é a maior de todas. Não se iludam com as vozes assustadas e medrosas do conservadorismo gritando por todo canto de nosso país e do mundo: o velho está fadado a morrer, rapidamente.



Infelizmente, ainda veremos catástrofes acontecerem em nosso solo e no de nosso planeta por algum tempo. Mas guardo em mim a esperança de que o bem construído nas últimas décadas tenha sido maior que o mal que alguns poderosos trazem como marca em seus corações. Tenho fé e esperança que vamos passar no grande teste, apesar de tudo, e que nenhum sofrimento tenha sido e será em vão.

A data limite está bem próxima, temos poucos meses, e quero acreditar que conseguiremos, mesmo que estejamos quase mortos e que mesmo arrastados, conseguiremos atravessar a linha de chegada. E depois disso, quebrados, mas vitoriosos, que nosso processo evolutivo possa dar um grande salto, como nos foi prometido décadas atrás.